Esmalte vermelho: 5 coisas que você não sabe sobre a cor mais usada nas unhas

Na década de 1920, a maquiadora Michele Menàrd criou os esmaltes inspirada nas cores das tintas de carro - e o vermelho foi um dos maiores destaques (Foto: Pixelformula)
Entre as décadas de 1920 e 1940, o vermelho era a cor tradicional da meia-lua - e aparecia sempre com a parte côncava sem esmalte para criar o detalhe da nail art (Foto: Pixelformula)
O esmalte vermelho é um dos clássicos que nunca sai de moda entre as esmaltemaníacas (Foto: Pixelformula)
Combinar esmalte e batom vermelho é uma tendência que nunca sai de moda (Foto: Pixelformula)
Na década de 1920, a maquiadora Michele Menàrd criou os esmaltes inspirada nas cores das tintas de carro - e o vermelho foi um dos maiores destaques (Foto: Pixelformula)

O esmalte vermelho é um clássico que não sai das unhas das mulhes: não importa o ano, ele é o favorito da maioria das esmaltemaníacas. Além de ser uma cor super versátil e que garante um look poderoso para qualquer uma, é também uma tonalidade cheia de história. Com um passado que começa no Egito Antigo, a nuance avermelhada é um hit na manicure e promete não sair de moda tão cedo! Descubra mais e confira as 5 coisas que você ainda não sabe sobre ela!

1 - Cleópatra e Nefertiti eram adeptas do vermelho

Engana-se quem pensa que, na Antiguidade, os esmaltes ainda não tinham espaço: na época do Egito Antigo, as mulheres que não faziam parte da realeza recorriam à henna preta para destacar as unhas, enquanto as rainhas já coloriam a pontinha dos dedos com cores mais vibrantes. Dentre as poucas tonalidades que existiam nesse período, o vermelho já chamava atenção e aparecia como o favorito de Cleópatra e Nefertiti - a primeira investindo quase sempre nas tonalidades mais escuras, e a segunda no tom de rubi.

2 - Vermelho era usado para distinção social entre os chineses

Assim como acontecia no Egito Antigo, os esmaltes mais marcantes também ajudavam a delimitar a hierarquia social na China - e o vermelho, novamente, aparecia nos dedinhos das mais privilegiadas. Ao lado dos esmaltes prateados, os tons avermelhados indicavam que as mulheres que os exibiam nas unhas ocupavam alguma posição de prestígio na sociedade.

3 - Cor também fez parte da primeira leva de esmaltes

Foi na década de 1920 que o esmalte passou a ganhar mais destaque e a aparecer do jeito que é conhecido hoje em dia. A maquiadora Michelle Menàrd foi quem o desenvolveu, tendo como maior inspiração as cores das tintas usadas em carros. Dentre as primeiras tonalidades do produto, um dos maiores destaques foi o vermelho, que passou a aparecer combinando com o batom no look das estrelas de Hollywood e entre as esmaltemaníacas mais antenadas da época.

4 - Esmalte foi sucesso entre as estrelas de Hollywood

As famosas sempre indicam tendências no mundo da beleza: seja nos cabelos, na maquiagem ou nas unhas. Com o esmalte vermelho não poderia ser diferente. Um dos motivos que ajudou a popularizar a cor na pontinha dos dedos foi o uso dela pelas estrelas. No século XX, famosas de renome como Rita Hayworth e Jan Harlow, eram adeptas da tonalidade nas unhas das mãos e dos pés e fizeram sucesso com a manicure avermelhada.

5 - Vermelho era a cor principal da meia-lua

A nail art meia-lua surgiu entre os anos de 1920 e 1940 e, ainda hoje, chama atenção nas unhas das adeptas do estilo. Hoje é possível fazer diversas combinações de cores, mas, na versão inicial, a tradição era deixar a unha toda esmaltada com vermelho - cor queridinha da época - e a parte côncava sem nenhum esmalte.

6 - Versão com acabamento cintilante foi tendência nos anos 1990

Além dos esmaltes escuros, característicos do estilo grunge que marcou os anos 1990, o vermelho também continuou como destaque entre as esmaltemaníacas. Mas, em vez de aparecer com o acabamento cremoso ou fosco, ele chamou atenção com o moderninho acabamento cintilante - que deixava a cor ainda mais glamourosa com as nuances brilhosas.