Pele matte sem aspecto pesado: siga as dicas e aprenda a fazer

Pele hidratada, a escolha dos produtos certos e uma aplicação perfeita são os segredos para uma pele matte de aspecto natural
Pele hidratada, a escolha dos produtos certos e uma aplicação perfeita são os segredos para uma pele matte de aspecto natural

Apesar da tendência que tem levado para a pele o aspecto lustroso dos iluminadores, o frio do inverno combina mesmo é com o efeito matte que deixa o rosto mais sequinho. O problema é que sem os devidos cuidados esse tipo de maquiagem pode passar um ar pesado e artificial, como se houvesse exagero na quantidade de produto. Aprenda os segredos da aplicação para deixar a produção natural.

Hidrate a pele para evitar uma pele marcada

O primeiro passo para conseguir a pele perfeita pode parecer um caminho contrário ao matte, mas é fundamental para o sucesso da make. Sem uma hidratação eficaz, a base pode acumular nas partes ressecadas do rosto e formar aquelas linhas que denunciam o produto e deixam um aspecto falso.

Para evitar aquele efeito brilhoso, passe o hidratante e espere até ser totalmente absorvido pela pele. Se o tempo estiver curto, pressione um lenço de papel para tirar o excesso e continue a se maquiar normalmente.

Escolha uma base leve para conservar o aspecto natural

Nem toda base com acabamento matte precisa ter uma cobertura pesada. Procure escolher cosméticos mais leves e tente achar um tom que se adapte perfeitamente ao seu rosto. Outro detalhe que ajuda a deixar a pele natural, é saber espalhar bem a base. O pincel e a esponja são as duas ferramentas mais indicadas para quem quer manter o aspecto natural da pele e ajudam a distribuir melhor o produto. Caso ainda fique alguma imperfeição como manchas e sinais, esconda-os com corretivo dando leves batidinhas.

Finalize com pó em áreas estratégicas

O pó tem o poder de deixar a pele automaticamente com aspecto matte, mas também precisa de alguns cuidados na hora da aplicação. Escolha um pincel bem fofo e espalhe uma pequena quantidade em áreas mais específicas do rosto, como a "zona T", que envolve testa, nariz e queixo.