Cutículas inflamadas? Confira dicas de dermatologista para evitar e tratar a pele

Confira dicas de dermatologista para evitar cutículas inflamadas
Confira dicas de dermatologista para evitar cutículas inflamadas

Pontas dos dedos inchadas, vermelhidão e pelinhas machucadas são realidades corriqueiras de quem não dispensa o hábito de cutilar as unhas. Embora muitas mulheres tenham deixado de lado a prática de usar o alicate - dando preferência à hidratação e manutenção - outras adoram o aspecto das cutículas removidas e, por isso, muitas ainda sofrem com a inflamação na área, seja porque a manicure exagerou na retirada ou porque os utensílios usados não estavam esterilizados. Isso acontece porque as cutículas são protetoras do organismo, e de acordo com a dermatologista Flávia Addor, um machucado que antes era simples, pode se tornar crônico, com uma infecção causada por fungos ou bactérias.

Cortes mais simples podem se transformar em inflamações agudas

Quem já teve a cutícula inflamada sabe bem como a dor incomoda. Pode acontecer devido a um corte errado feito com o alicate ou a partir de ressecamento da pele que envolve a unha. "Dor, sensibilidade, edema e inchaço são os sintomas mais frequentes. A lavagem das mãos, como lavar louças e roupas com detergentes também agridem as cutículas e facilitam a inflamação, evoluindo, muitas vezes, para infecções por fungos ou bactérias", explicou a especialista.

A melhora de um machucado simples costuma acontecer em alguns dias, mas se a dor começar a ficar intensa e houver presença de pus, deve-se procurar um médico. "Aí trata-se de uma infecção mais séria. O ideal mesmo é procurar um dermatologista para prescrever a medicação certa e de acordo com o quadro", explicou a profissional.

Dermatologista alerta para evitar fazer curativo nas cutícula inflamada

Quando você começar a sentir algumas pontadas e o dedo começar a inchar, o ideal é manter as mãos limpas e secas para que o machucado não se transforme em infecção. Na ânsia de medicar o ferimento, muitas mulheres aplicam pomadas e cobrem com um curativo. Mas segundo a dermatologista, "abafar" o dedo não é a melhor solução. "O curativo acaba ficando úmido após a primeira lavagem, o que facilita a proliferação microbiana. A colonização dos fungos ou bactérias leva à piora da inflamação, e a umidade facilita a proliferação", explicou Flávia Addor. O uso de pomadas cicatrizantes é liberado mas, se após alguns dias não houver melhora, é importante procurar um dermatologista.

Cutícula inflamada também pode alterar saúde das unhas

Se você costuma tirar as cutículas com frequência e gosta de aparentar aquele aspecto "fundinho", é bem provável que as suas unhas estejam fracas. Isso porque as cutículas servem como um protetor do organismo, deixando também as unhas mais fortes. Por isso, não são apenas as cutículas que ficam desidratadas e ressecadas quando acontece uma inflamação. "Quando o problema é mais crônico, pode levar à alterações da cor, descolamento e alterações no ritmo de crescimento com ondulações", explicou Flávia Addor. Nesses casos, a dica é apostar na hidratação da área e em bases com substâncias fortalecedoras, que vão devolver os nutrientes que estão em falta nas suas pontinhas dos dedos.

Confira dicas práticas para evitar inflamação das cutículas

A orientação principal é unânime entre a maioria dos profissionais de dermatologia: evitar a remoção excessiva de cutículas. Se você já é acostumada a essa prática, seja em casa ou no salão de beleza, mas pretende deixar o hábito de lado, a dica é começar a hidratar ao redor da unha para que as cutículas cresçam menos ressecadas e mais finas, já que algumas tendem a ficar grossas após um longo tempo sendo cortadas com alicate.

Mas se você é do time de mulheres que ainda prefere remover a pele, o ideal é levar um "kit manicure" toda vez que for ao salão de beleza. Mas, atenção! O kit não deve incluir apenas o seu alicate: vale levar também tesoura, espátulas, lixas e os seus esmaltes, já que o risco de contrair alguma bactéria será muito menor.